ALCANENA
Diciopédia 2005
Alcanena
Aspectos Geográficos
O concelho de Alcanena, do distrito de Santarém localiza-se na Região do Centro(NUT II), no Médio Tejo(NUT III). Fica situado na zona de contacto entre o Maciço Calcário Estremenho e a Bacia Sedimentar do Tejo. Parte do seu território faz parte do Parque Natural da Serra dos Candeeiros e é limitado a nordeste pela Serra d'Aire e a 3 km dos chamados "olhos de água", nascentes do Alviela. A nível concelhio, faz fronteira a norte com o concelho de Ourém, a sul com Santarém, a este com Torres Novas e a oeste com Porto de Mós e Batalha do distrito de Leiria.
No total, abrange uma área de cerca de 127,1 km2 e é constituído por 10 freguesias: Alcanena, Minde, Vila Moreira, Moitas Venda, Monsanto, Bugalhos, Malhou, Serra de Sto. António, Espinheiro e Louriceira.
Em 2001, o concelho apresentava 14 600 habitantes.
História e Monumentos
Alcanena surgiu como concelho em 1914. Até ao início do séc. XIX, Alcanena pertencia ao concelho de Torres Novas até que as indústrias de curtumes começaram a ter relevo na região e ela se tornou independente.
O concelho é constituído por um rico património cultural e natural, destacando-se o Polge de Mira em Minde; os Olhos de Água; a Ermida de Sta. Marta e a Igreja Matriz da Louriceira (séc. XVI); as Grutas da Marmota, que datam da Idade do Bronze, e o Museu Etnográfico do Espinheiro.
Tradições, Lendas e Curiosidades
O concelho é caracterizado por um enorme número de feiras, ao longo do ano, realçando-se: a Feira de Minde, em Minde, no último domingo de Junho; a Feira de Artesanato tradicional das Aldeias, em finais de Julho; a Feira de Sta. Ana e a Feira de Santana, com venda de produtos variados, actividades culturais e folclore, realizam-se também em Julho; a Feira do Livro realiza-se na primeira semana de Setembro. Das feiras mensais, salienta-se a de Santo António, na Serra de Sto. António, todos os dias 15 de cada mês. No mercado de Alcanena realiza-se todas as quartas-feiras e sábados uma feira semanal de produtos alimentares, flores, vestuário, calçado e mobiliário.
Em Espinheiro realizam-se todos os anos, entre os dias 25 e 28 de Dezembro, as tradicionais festas em honra de N. Sra. da Encarnação e a Festa de 5 de Outubro com desfile de bandas, bailes e folclore. A Festa de S. Pedro, com procissão, baile, desfile de bandas e espectáculos de variedades, e a Festa de S. João decorrem em Junho.
A nível de artesanato destacam-se as almofadas de retalhos, balaio de junco e feno, bonecas de malha, trabalhos em bunho, candeeiros e mesas em bunho e cestaria em verga.
O feriado municipal decorre na quinta-feira de Ascensão, também conhecida pela quinta-feira de Espiga (40 dias após a Páscoa).
Economia
A agricultura tem importância social no concelho, embora os solos sejam pouco férteis. Esta actividade constitui um complemento ao rendimento familiar, com destaque para o olival e frutos secos, cereais para grão e culturas forrageiras. Em relação ao sector pecuário, os suínos, caprinos e ovinos representam os maiores contingentes. Na produção florestal destacam-se o pinheiro bravo e o eucalipto.
O sector secundário tem tradição na indústria dos curtumes e de malhas, mas também são importantes as indústrias de solas, pelarias para calçado, vestuário, máquinas industriais e têxtil (produção de mantas, alforges, tapetes e carpetes).
O sector terciário está intimamente relacionado com o turismo decorrente do aproveitamento paisagístico em que o concelho está inserido, nomeadamente do Parque Nacional das Serras d'Aire e Candeeiros e com os serviços (saúde, educação, serviços administrativos e judiciais.
72 photos · 1 video · 26,039 views