flickr-free-ic3d pan white
View allAll Photos Tagged entrevista

Recien Entrevisté a Mara Cárdenaz, "Lunara."

La Entrevista la pueden ver en mi blog:

naifangelluz.blogspot.com/

 

y pueden pasar a ver la obra de mi amiga a su flickr:

www.flickr.com/photos/lunara/

 

y visitar también su blog:

www.lunara-arte.blogspot.com/

 

y su pagina web:

www.lunara.com.mx/pintura.html

Mizu Tachibana mora em Santos, litoral de São Paulo, e tem 16 anos. Se não fosse a entrevista, eu jamais adivinharia seu nome: Amanda. É uma pessoa extremamente sortuda, pois pediu sua primeira doll, a dal Ende, no dia 13/10 e ela demorou apenas 8 dias para chegar.

Ainda é estudante, mas já pensa o que fazer quando crescer. Deseja ser dubladora, cantora, atriz... coisas do mundo da arte, mas, com muito bom humor, afirma que, se nada disso der certo, viraria revendedora da Jequiti. É mole? :D

Vamos à entrevista.

______________________________________________________________________

 

1 – Como não pode faltar, comecemos pela pergunta base: quantas dolls você tem e quantas você ainda deseja?

Hmmm... Cara... Eu não sei dizer ao certo... Sei que deve ter muito mais que 15. Eu não sei muito sobre minha própria Wishlist, simplesmente porque eu tiro e coloco dolls quase freqüentemente... acho que se eu montasse, eu iria ficar indecisa para saber qual seria a próxima, já que, provavelmente, a ordem não iria ser na “necessidade”.

 

2 – Gosto sempre de saber se esse desejo por bonecas veio de criança. Quais suas brincadeiras favoritas naquele tempo?

Adora bonecas! Eu tinha um montão de Barbies, e tudo era que a tia do meu pai me dava quando vinha pro Brasil. (Ela mora nos EUA) XD E não eram só Barbie e Cia, era Polly, Suzie, Bratz... Todas que existiam na época! Eu brincava de casinha com elas, criava histórias do nada, inventava nomes, dimensões e etc... Eu era uma criança um taanto criativa... Talvez até demais. XD Eu não deixava ninguém tocar nas minhas bonecas, aliás. Só eram umas amigas e olhe lá.

 

3 – E quando viu as fashion dolls, o que passou pela sua cabeça ao perceber que desejava uma?

Passou algo como “Eu quero! Não importa o que aconteça, eu quero!” Depois disso, eu fui acostumando meu pai com a idéia de me dar uma doll. Isso tudo começou em maio desse ano, uns dias depois do meu aniversário. Eu falei que queria um BJD e continuei com a idéia até meados de julho. Então aí eu mudei e pedi um PSP. Depois eu mudei de novo e falei que queria uma Dal. Na verdade, minha primeira Dal era pra ser a Tina ou a Chibi Risa Rock Ver... Mas a Ende estava super mais barata e foi assim. Epa, falei demais. n_n’

 

4 – Você é uma pessoa relativamente nova no Flickr. Como é a sua relação com as pessoas e com o mundo bonequeiro? Houve adaptação imediata ou ainda há algo que não está confortável?

Olha... Eu tento me dar bem com todos... Eu adoro conhecer pessoas novas, dolls novas... E minhas meninas adoram, né. Afinal, amigo nunca é demais. Eu ainda tenho algumas dúvidas, mas nada que seja muito “importante” ou coisa do tipo. Bom, também, Google ta ae. XD

 

5 – A maioria das pessoas tem suas preferências por dolls específicas. Alguns gostam de pullips, outros taes, blythes... sua primeira doll foi uma dal. Qual o motivo da escolha?

Bom, como posso dizer? A primeira doll que vi da Groove/Jun foi uma Dal, a Tina para ser exata. Então eu falei “Ah, eu quero uma Dal”, até porque eram mais baratas que as Pullips, Taes e afim. Foi difícil escolher entre as dals, no fim. Eu pensei em pegar a Risa, ou a Tina, como disse antes. Até pensei que minha primeira fosse a dal Edge... Mas, um dia, me deu um “alouca” e eu olhei para a Ende e falei “quero ela, agora.” Então, lá fui eu implorar pro meu pai. XD e olha que a Kath não era nem uma personagem de tamanha importância como hoje em dia. :3

 

6 – Tem algum critério que você utiliza pra escolher suas próximas filhas? E de onde vem as inspirações pra criar a personalidade delas?

Sinceramente? Eu vou pela mais ‘velha’ até as novas, ou da mais barata para os mais caros... Eu morro de medo de que alguma doll que eu queira esgote ou se torne rara, então eu sou bem afobada em questão de compra. Quanto a personalidade... Bom, vem da cabeça, né... Eu continuo sendo uma pessoa muito criança e adoro criar personagens! Adoro, ainda mais, poder descrever o tipo de roupa, corpo, cabelo, jeito e etc que cada um tem! Eu tenho uma paixão muito louca por isso e já até pensei em virar escritora... Mas eu sempre acho que minhas histórias não são interessantes e acabo as guardando para mim. Bom, no fim, vem da cabeça mesmo. Como eu posso explicar? Eu adoro falar sobre elas! Amo de paixão. ♥ E, geralmente, eu fico hoooras e hoooras pensando nessas coisas. Já aconteceu de eu estar pensando nisso antes de dormir e perder completamente o sono. Ou sonhar com elas. xD Apesar de ser criativa, eu sou extremamente organizada com isso. Eu uso um fichário e um caderno para escrever as características básicas de tal personagem e logo depois, em outro caderno, passo a limpo. Atualmente, eu tenho três cadernos. (Mentira, tenho vários, cof) Um para ‘protótipos’, um para personagens que não irão virar dolls e um para personagens que irão virar dolls. ^u^

 

7 – Kath é uma dollzinha muito fofa e doce, no entanto, bastante quietinha e misteriosa. Você pode nos contar um pouco do que pretende para o futuro dela?

Hmm... Segredo! *leva tiros* Na verdade, nem eu sei ao certo... Ela, agora, vive um dia de cada vez, na paz, porque não tem o irmão mais velho aqui. Mas, quando eu tiver minha família quase completa, quem sabe a coisa não mude? Só posso assegurar que ela não vai mais sofrer como no passado! u_u/

 

8 – Já vimos por esses dias que você deu uma irmãzinha pra Kath. E agora? Como vai ser a vida em família com duas dolls tão diferentes na sua casa?

Boa pergunta! xD A Kath é toda comportada e quieta, mais na dela, então não se importa com bagunça. Agora, a Haine... É como se você libertasse um dragão de correntes, ou um furacão invadisse seu quarto. E ela combinam demais! Deve ser o tal ditado que “os opostos se atraem”, não sei, mas elas se dão bem demais. Todos na minha família se dão bem entre si, porque (revelando um segredo aqui) são todos youkais, demônios, anjos, seres mitológicos, Deuses e etc que já passaram por muita desgraça na vida, por isso só querem paz.

 

9 – Agora é a hora do recadinho final. xD Quer falar algo para os webleitores do Talk Show?

Oi galerinha! 8D Então, hm... O que eu posso falar? @_@ Bom, primeiramente, eu quero agradecer muito à todos vocês que comentam, favoritam minhas fotos, visitam meu flickr, enfim, me acompanham! Eu sei que eu sei ser chata quando quero, então, obrigada pela paciência! :3 Toda vez que alguém elogia minhas fotos, coloca um sorrisão no meu rosto! ♥

Muito obrigada mesmo! E peço que continuem a me acompanhar, porque planejo muuuitas coisas, como romance, drama e intrigas! :x~

 

_____________________________________________________________________________

 

Essa foi a entrevista da Mizu, menina fofa, com cara de que tá fazendo arte.

Qualquer pergunta a mais pode ser feito nos comentários que o entrevistado responde. Aguardem a próxima entrevista, pois esse mês, teremos surpresas no Talk Show ainda. :D

Boa semana e até a próxima entrevista. Beijooos.

 

[subindo as letrinhas, musiquinha de Talk Show, filmando a platéia]

  

Olá, webespectadores! Quantas bonequeiras vocês conhecem que estão estudando para se tornar controladora de tráfego aéreo na Aeronáutica? E quantas delas levam seus dolls pro quartel? Na verdade, quantas delas pegam em armas e defendem seu país acima de tudo?

Eu só conheço uma e o nome dela é Suzana, a Nina_senpai do Flickr, tem 34 anos e mora em São Bernardo do Campo. Ganhou sua primeira doll em 13 de dezembro de 2010 de uma forma bem inusitada e curiosa. Tem várias habilidades que eu prefiro deixar que ela conte pra vocês.

 

1 - Como de costume, a primeira pergunta é sobre as dolls que você já tem e as que ainda deseja. Claro que também pode citar aquelas que não são Groove.

Vigi! Sempre esqueço uma...vamos lá: Nina (sfoglia), Johan (tantus), Axel (missionary), Satie (naomi), Lestat (cavalie), Nana (rida), Nick (arashi), Layla (melissa), Enma (ray), Sebastian (teacher), Ciel (dal), Angie (isul duke), Mefisto (maguna), Pandora (chapeúzinho vermelho), Beau (barbara ama), Lecco (sol), Daniel (isul johan), Aurora (dal joujou), Lorelle (angelique), Armand (natsume) e Coraline (genérica tangkou).

Os dois últimos não chegaram ainda! Peguei a tangkou pra customizar mas to pensando em vender ela pra comprar a dal ende que será minha vampira Cláudia. Ainda quero um vampiro Louis mas não sei quem será...talvez o romantic mad hatter, talvez eu nem compre pq divido a história com a sweet.lunacy...Amei o novo tae Hide Doubt e eu vivo me apaixonando por taes...então a coisa não tem fim!

 

2 - Muitas pessoas não despertam seu interesse pelas dolls logo de cara. Como foi que a vontade de tê-las apareceu em você, e principalmente, como foi a sensação de realizá-la?

A primeira vez que vi as pullips foi no site da Sá (Ichigo Toys). Eu as achei maravilhosas, mas um sonho impossível...eram caras demais! Achei que nunca ia ter uma. Lembro bem q uma das primeiras que bati os olhos foi a Sfoglia!

Anos depois, consegui comprá-la mas ela ficou semanas dentro da caixa, até o dia de natal e depois ela continuou na caixa...eu só tirava pra ver e depois colocava de novo. Parecia um sonho! Demorou quase um mês pra eu realmente começar a fotografar a bichinha!

A sensação de ter as dolls foi maravilhosa e de repente percebi que não era algo tão impossível assim uma vez que a minha vontade foi maior do que a dificuldade!

 

3 - E quais foram as primeiras coisas que fez com ela, além de fotografar? Qual o motivo por não começar a fotografar Nina de imediato?

Bem, eu comecei a costurar! Fiz muitas roupinhas tendo a Nina como a minha Top Model principal. Eu não comecei logo a fotografar a bichinha porque eu não conhecia o flickr nem as bonequeiras. Não sabia que isso era o maior divertimento!

 

4 – A história da sua primeira pullip é conhecida aqui no Flickr, no entanto, muitos dos webleitores ainda não sabem como sua família começou. Poderia contá-la para nós?

Sim, claro! Eu sou a maior fã dos Bee Gees...já falei com os caras pelo telefone, troco e-mails, acompanho no twitter...daí xinguei o Robin num e-mail, dizendo q ele nunca vinho ao Brasil. Em novembro ele me respondeu o e-mail dizendo "to indo" e colocou os dados do show que seria no dia 06 de dezembro. Paguei R$ 700,00 de ingresso (R$ 350 cada um...comprei pra mim e pra minha mamis). Esperei ansiosa e no dia, quando eu já tava escolhendo a roupa, minha mãe me liga e diz que o show foi cancelado pq o cara tava doente...PQP! A casa de espetáculos devolveu o dinheiro na semana seguinte. Eu fiquei muito magoada quando fui buscar o dinheiro. Eu não queria aquele dinheiro de volta! Daí, passei pela Liberdade, bairro oriental de sampa city, e comprei minha pullip sfoglia angelic pretty numa loja do lugar. paguei R$ 540,00 nela. Foi minha doll mais cara até hj pq eu era loser hehehehe XD

 

5 – Nós sabemos que seu doll favorito é o Johan, tanto que muito de suas características foram passadas para ele. Como se deu a construção desse personagem?

O nome dele veio do personagem principal do mangá/anime Monster. Eu tava assistindo na época e me apaixonei pelo cara ahahhaa (vivo me apaixonando por personagens de anime). Era pra ele ser o fruto de uma experiência que faria o líder perfeito, inteligentíssimo, psicopata etc...mas minhas dolls NUNCA me obedecem e o Johan chegou com aquele jeito dele: caladão, nerd, rebelde, fiel e individualista. Não acho que ele seja meu alter ego ou coisa do tipo...ele é bem diferente de mim...eu sou extrovertida, tenho muitos amigos, falo pra burro. A única coisa q eu e o Johan temos em comum é o fato dele gostar de estudar e estar na aeronáutica, mas isso é fácil de explicar: EU NÃO VIVO SEM ELE! Logo, arrastei o pobrezinho pra mesma vida e durmo com ele na beliche do alojamento, abraçadinha, na cama de cima! Nunca o deixo cair...mais fácil cair eu!

 

6 - O Johan é um dos seus dolls que, acredito, parece mais com você. Já que citou as principais características dele, que tal falar um pouco dos pontos em comum entre você e os outros membros da família?

Claro! Adoro falar deles. Pra mim, eles têm as características q eu não possuo mas gostaria de possuir:

Johan: coragem, força, independência

Lestat: ousadia

Nick: amor e compaixão

Axel: devoção e romantismo

Beau: autoconfiança e cara-de-pau do tipo "dane-se o que pensam de mim"

Nina: liberdade

Satie: ingenuidade

Pandora: magia, bruxaria, sexto sentido

Mefisto: sabedoria

Layla: impetuosidade

Aurora: decidida, ninguém faz a cabeça dela

Angie: paciência

Nana: maturidade

 

O Sebastian, o Ciel e a Enma Ai são personagens de mangá/anime que ainda não compreendi direito. O Lecco e o Daniel eu ainda estou conhecendo. Não sei muito sobre a personalidade deles. E tem os que nem chegaram ainda!

 

7 - Recentemente, você decidiu adquirir um nosso estilo de boneca bem diferente das pullips e taeyangs. O que fez com que a nova doll chamasse a sua atenção?

Vc se refere à tangkou?! Na verdade, eu achei ela bonitinha. Culpa do Mundo e da MUSSE! Ainda não consigo gostar de blythes mas às vezes quase acho as blythes deles bonitas, daí, a tang é um tipo híbrido entre blythes e pullips. Pensei em customizar a pobrezinha pra ser minha Coraline. Mas tb é bem provável que eu coloque ela pra adoção pq não sei se vou me adaptar àqueles olhos tipo blythe.

 

8 - Além das perguntas sobre dolls, gostaríamos muito de saber sobre a pessoa que está por trás das criativas histórias que vemos na sua galeria. Poderia falar um pouco sobre você?

Ixi, complicou! Bem! Eu sou técnica em química pelo SENAI, trabalhei no controle de qualidade da Yacult e de outras empresas. Não gostei! Fiquei um tempo sem estudar e nesse tempo trabalhei num mosteiro beneditino exorcista hehehe (aprendi a xingar em latim). Depois decidi estudar novamente e fiz faculdade de física na USP. me especializei em Aceleradores de Partículas. Então fui pra área de criminalística e fiz estágio no Instituto de Criminalística de São Paulo (tipo CSI). Aí parei tudo pra dar atenção ao meu trabalho como professora pq eu tava desenvolvendo um curso de Astronomia e Astronáutica (foguetes). Foi aí que apareceu a oportunidade de eu ir pra Aeronáutica e cá estou eu, estudando pra ser sargento controladora de tráfego aéreo. Andei dando umas aulas de física lá na Aeronáutica e acabei me interessando por mecânica de aeronaves...mas não sei ainda se me entorno pra esse lado. Fora isso, adoro meu piano Louis (estudei 5 anos no Conservatório e parei por causa da faculdade), fui campeã brasileira de kung fu na minha categoria (sou faixa verde; faltam mais 3 antes da preta), jogo tarot desde os 11 anos de idade. E o que eu faço de melhor, que é dom mesmo, é desenhar! Aprendi sozinha, num sonho! Meus desenhos são lindos e até hj me impressiono de ver um desenho pronto. Resumindo bastante é isso!

 

9 - Você é uma das pessoas mais corajosas que já conheci, pois decidiu largar a carreira de professora para ingressar na aeronáutica. Como aconteceu essa mudança?

Eu já lecionava há 7 anos e nunca tinha recebido um aumento. Morava sozinha com a minha mãe e queria dar um futuro mais seguro a ela. No meu emprego não havia estabilidade nenhuma, eu não tinha convênio médico, nem odontológico, não tinha plano de carreira e trabalhava 16/17 horas por dias. Eu dava aulas de manhã, de tarde e de noite. Corrigia provas e trabalhos nos intervalos e fins de semana. E já tava ficando velha, não sabia mais quantos anos eu aguentaria nessa vida. Então eu vi um cartaz na parede da escola onde eu trabalhava que dizia: "seja sargento da aeronáutica" e pensei "por que não?!". Prestei a prova e passei fácil, sem estudar nada...daí vieram as outras provas, de resistência física, de saúde...fui passando em todas e cá estou eu!

 

10 - Bem, depois de revirarmos um pouquinho de nada a sua vida, gostaria de deixar algum recado para os webleitores? :D

Nunca desista! Que a idade não seja empecilho! Que a falta de condições não seja empecilho! Que o medo não seja empecilho! mas que todas as dificuldades sirvam de impulso para que vc lute bravamente pelas coisas que ama, que acredita e que colocam um sorriso no seu rosto!

_____________________________________________________________________________

 

Essa entrevista, infelizmente, não conseguiu falar de tudo que ela já fez em tão pouco tempo, mas serve para que vocês a conheçam melhor. Eu estava ansiosa por fazê-la, pois Su é uma das pessoas mais queridas por mim aqui do Flickr. :3

 

Amanhã, apesar de um dia chato, eu desejo que tudo dê certo pra você. Estarei torcendo do lado de cá, viu? Muito obrigada por tudo e, quando digo isso, não me refiro apenas às entrevistas.

 

Beijos, e aproveitem a entrevista.

 

OBS.: Em virtude dos últimos acontecimentos (leckais :3) da minha vida, suspenderei o Durango Tig Talk Show, provavelmente, até abril, quando eu me organizar e estiver com tudo em dia já na minha casinha na Alemanha. ^^

 

[subindo as letrinhas, musiquinha de Talk Show, filmando a platéia]

 

Solar do Unhão

Salvador

Bahia

Brasil

Sofia, lider y fundadora de "Lulu Jam" y voz de trió electrónico "Quierostar".

 

Agradecimientos // Marcelo Celis >> Maquillaje // Marco Figueroa >> Fotografía //

www.Superficial.cl, 5ta edición.

Making of de la entrevista a Xisco Coves

Entrevista para o SBT Notícias Nordeste no Hotel Vila Gale/Ondina.

Ela tem 17 anos e é dona de um taeyang super sexy que tem alergia a camisetas, pois nunca o vi vestindo uma. Mora no Rio de Janeiro e escreve histórias lindíssimas com direito a fadas, dragões, vampiros e gatos que falam. É estudante e, enquanto não ingressa na Universidade para estudar Relações Internacionais, cuida das relações internas dessas dolls que causam aqui na web. Estou falando de Mariana, a Marilhama que todos nós conhecemos. Vamos acompanhar a entrevista dela.

______________________________________________________________________

 

1 - A primeira pergunta é mais para esquentar: quantas dolls você tem e quantas ainda estão na wishlist?

Tenho 7. Um número bem legal, porque durante muito tempo tive 7 gatos em casa! Eu não sou de criar wishlist... Porque isso meio que deixa um “ar de obrigação” pra comprar os dolls, sabe? Como se minha família de dolls não estivesse completa enquanto eu não tiver os da wishlist.

 

2 - Gatos e bonecas! Eles chegaram a conviver com elas?

Sim, e costumam ignorar elas. Mas quem tem (vários) gatos sabe bem que eles fazem xixi em tudo... Então se eu vejo um gato se aproximar demais de algum boneco, rapidamente espanto o bicho. XD

 

3 - Quando você era criança, costumava brincar de bonecas? Quais suas atividades favoritas naquele tempo?

Até brincava, mas não era o que eu mais gostava ou o que eu mais fazia. Eu preferia brincar com o meu primo com dinossauros de plástico! Ou então a gente criava histórias grandes e complexas, cheias de personagens. Às vezes criávamos os personagens e fazíamos fichas deles em papel, tudo organizado. E às vezes nós mesmos representávamos os personagens. Ah, a gente brincava de TANTA coisa na infância, nem dá pra falar de tudo. XD Eu também gostava de assistir Dragon Ball, Yu-Gi-Oh!, Digimon, Pokemon... E por aí vai.

 

4 - Brincava então de RPG. xD

Sim, essa é uma boa definição!

 

5 - Quando surgiu a vontade de ter bonecas, que tipo de pensamento passou pela sua cabeça?

Er... Não lembro bem porque essa vontade me apareceu há uns quatro anos. Acho que foi algo tipo “Que boneca linda! Mas é cara, não quero agora. Espero ter uma um dia.”.

Simples, né? XD

 

6 - Suas histórias são incríveis, bem construídas e criativas! De onde vem tanta inspiração? Quais são suas influências para escrever?

MUITO obrigada, hein. *-*

O que influencia o que eu escrevo são as coisas que eu gosto/me interessam, basicamente. Por exemplo, gosto de mitologia. Então no passado do Cain pus alguma coisa de mitologia egípcia. Também gosto de dragões... Então lá veio o Luke!

A base de tudo que eu escrevi pros meus bonecos é: Existem muitas dimensões e muitos planetas, cada lugar com seus habitantes e sua estrutura.

Então a partir daí posso criar quantos mundos quiser, de acordo com o que me interessa no momento. Mas isso aí é uma história maior, algo mais complexo que fica nos bastidores (os próprios passados dos meus personagens são histórias meio complexas que talvez a maioria dos que leem meu Flickr não conheça).

Há tempos tudo que escrevo são diálogos do dia-a-dia dos meus bonecos (ao invés de escrever textos narrativo-descritivos), aos poucos desenvolvendo suas personalidades e histórias. Porque isso é mais rápido, fácil, e no fim das contas é o que o pessoal do Flickr quer, eu acho.

Cá entre nós, é normal que as pessoas desanimem de ler a descrição de uma foto quando ela tem um texto gigante. As pessoas querem diálogos simples, e que sejam de preferência engraçados ou dramáticos. E como estou num momento em que prefiro praticidade, acabo só escrevendo esse tipo de coisa. No fim das contas, como acho que agrada os dois lados (escritora x leitores), tá ótimo. ^^

E a inspiração... Não sei dizer direito. Ela pode vir de qualquer coisa. Mangas/animes, livros, situações que eu observo ou que vivo, matérias que estudo na escola...

 

7 - E quando suas bonecas estão sentadinhas, in off, você consegue vê-las dentro dessa estrutura toda, ou deixa isso mais pro momento da brincadeira?

Acho que essa é a pergunta que estou tendo mais dificuldade pra responder. É um pouco complexo. Eu até vejo sim... Mas é diferente, sei lá. Pra começar, levo a sério a frase “Ame as pessoas e use os objetos, nunca o contrário.”, então quando olho pros meus bonecos, eu vejo principalmente... Bonecos. Quer dizer, o Luke é o Luke, a Nana é a Nana... Mas eu não seguraria meu Taeyang Kain e diria, olhando em seus olhos de plástico, “Eu te amo, Luke!”. Porque ele é um boneco. Mas eu poderia sim dizer que amo o personagem que criei, que amo a personalidade dele. Que se ele existisse, seríamos amigos. Cain, Nana, Hell, Luke, Louis, Merlot e Marie estão vivos mesmo é em nossas mentes. Eu poderia deixar de ter meus taeyangs, pullips, dals e isul; mas isso de modo algum significaria que essas pessoas cujos nomes foram citados deixariam de existir.

 

8 – Agora a pergunta sobre quem é Marilhama: e a relação com a família e os amigos? Eles participam de alguma forma da sua coleção?

Acho que a pessoa que melhor me conhece é a minha mãe, ela fica bem por dentro da minha vida. Então sempre conto pra ela das minhas ideias e planos relacionados ao hobby. O resto da família não liga muito, mas parece achar legal. Meus amigos (com exceção dos “amigos online”) não ligam pra bonecas e eu não falo com eles sobre isso. No máximo um comentário ou outro, como por exemplo quando compro um doll e fico muito ansiosa pra ele chegar, aí talvez eu fale sobre isso. A reação deles costuma ser “Ah, ok... Maluca. :)”

Mas eu realmente não ligo, nunca tive fama de ser “normal” mesmo. Muito pelo contrário. XD

 

9 - Quais seus outros hobbies e costumes que não são, digamos, normaiszinhos?

Tenho alguns problemas com as definições de “normal” e “estranho”. Tipo, ser normal seria fazer as coisas de modo semelhante ao que a maioria das pessoas faz? Dependendo da situação isso é meio perigoso. Você pode acabar virando mais uma pessoa presa a normas, padrões, regras, preconceitos, gravatas, e condomínios caros.

Nossa, viajei. É que essas coisas me parecem assustadoras.

Mas possivelmente sufocaria sua criatividade e assim você deixaria de ser você mesmo.

Talvez seja essa linha de raciocínio que tenha me levado algumas vezes a agir de modo que fez as pessoas ao meu redor me chamarem de estranha. Mas acho que isso é legal. Porque são amigos que normalmente falam isso de mim, e eles falam rindo.

Então eu acho que é uma coisa boa, né?

Devo ter complicado... Vou resumir essa história toda com um exemplo bobo que talvez deixe melhor de entender: Na oitava série (Ou sétima? Sei lá. XD) eu via Suzumiya Haruhi no Yuuutsu, e por causa da personagem principal passei a prender meu cabelo com fitas, ás vezes dava laços. Minhas amigas acharam divertido e passaram a fazer o mesmo. Tinha um grupo de garotas da nossa sala que não gostava da gente, principalmente de mim, sabe-se lá o motivo. Elas nos sacaneavam bastante e sei que me achavam estranha (também me chamavam disso, eu acho).

Bem, é óbvio que ver a repercussão sobre o modo como eu prendia meu cabelo me incentivou a continuar fazendo isso por meses.

Era uma época divertida! :D

 

10 - Com qual das suas dolls você se parece mais? Quais as características que você deu a eles que foram retiradas de você?

Todos os meus bonecos tem um pouco da minha personalidade, mas com certeza me pareço mais com o Luke.

É meio difícil dizer o que tem nele que veio de mim. Na verdade, eu dou meus defeitos aos bonecos. O Luke tem muitos defeitos meus. XD

 

11 – Parecida com o Luke? Uauu! Quais são esses defeitos, então?

Er... Meio tenso falar disso, até porque muitas vezes vou dando minhas características pra ele e só percebo depois. XD

Acho que meus defeitos mais marcantes no Luke são: Dependência da pessoa amada, impaciência, preguiça de se esforçar quando as coisas ficam difíceis... E aquela mania de querer deixar tudo pra depois. Ah, além de não gostar de estudar (a não ser que a matéria interesse).

Melhor eu parar por aqui, haha x_x

 

12 - Agora é a hora do recadinho da felicidade. xD Quer falar algo para os webleitores?

OI GENTE BONITA!

Obrigada por verem minhas fotos e lerem o que eu escrevo! Obrigada mesmo!

Saibam que meus planos com relação à fotografia e escrita são apenas... Melhorar.

Não estou satisfeita com o estado atual. Quero tirar fotos lindas pra mostrar pra vocês e quero escrever histórias realmente interessantes. Vou chegar lá e eu espero que durante esse tempo vocês continuem comigo. :)

Beijões! \o/

_____________________________________________________________________________

 

A entrevista de hoje foi essa, gente. Espero que tenham gostado de conhecer essa moça linda que é Mari.

Lembrando que qualquer pergunta à entrevistada do mês pode ser feita nos comentários. Se ela se sentir à vontade, pode responder também. ^^

Boa semana e até a próxima entrevista. Beijooos.

 

[subindo as letrinhas, musiquinha de Talk Show, filmando a platéia]

Releia a #entrevista da fotógrafa Maureen Bisilliat »http://bit.ly/1C2QNJE

Entrevista a Pablo Bernasconi. Publicado en Crann 30. Próximamente.

Making of de la entrevista a Xisco Coves

Foto retirada durante a entrevista com a banda Acústicos & Valvulados (por Rafael Ilhescas)

Still das filmagens de "Poesia do Gesto" em Paraty.

Making of de la entrevista a Xisco Coves

Making of de la entrevista a Xisco Coves

1 3 4 5 6 7 ••• 79 80