Ato “Natal sem SUS” denuncia terceirização na Saúde
Entidades defensoras do SUS, municipários e trabalhadores do Imesf realizaram, nesta terça-feira (10/12), o ato “Natal sem SUS”, em frente à Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A manifestação chama atenção para o projeto de Marchezan de entrega da saúde do município para a iniciativa privada, através das terceirizações e fechamento das Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Com Papai Noel em pernas de pau, foi feita a entrega do troféu abacaxi ao secretário municipal de Saúde. Municipários e imesfianos denunciaram, também, os ataques que estão sofrendo com as relotações arbitrárias dos postos de trabalho e a tentativa de demitir mais de 1800 funcionários do Imesf.

A manifestação trouxe a tona o prejuízo que as empresas terceirizadas já estão causando nos Pronto-Atendimentos Bom Jesus e Lomba do Pinheiro, onde a empresa SPDM assumiu a gestão, neste fim de ano. Em pouco tempo de atuação, já faltam médicos clínicos, pediatras, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Além disso, a SPDM está proibida de atuar no estado de Santa Catarina e responde inúmeros processos de desvio de recursos do SUS.

Os servidores e servidoras do Hospital Pronto Socorro (HPS) denunciaram, ainda, a FS Gestão, empresa terceirizada da Farmácia do HPS, que está, há quase uma semana, sem pagar os salários dos funcionários.

O “Natal sem SUS” contou com a presença do Simpa, Sindisaúde/RS, Cores Saúde, Sindsprev/RS, CMS, Sergs, ASHPS, ASSMS e Fórum em Defesa do SUS, entidades que seguirão na luta em defesa do SUS e contra a terceirização e privatização do SUS em Porto Alegre.
23 photos · 1 view