Abraço e mobilização da comunidade reforçam luta em defesa da EMEB Dr. Liberato
Nesta quarta-feira, 22 de março, a partir das 13h30, comunidade escolar e moradores do Sarandi farão um abraço simbólico à EMEB Dr. Liberato Salzano Vieira da Cunha em defesa da manutenção das matrículas no ensino médio e técnico da escola.

O abraço é mais um passo dado pelos professores, alunos e moradores no sentido de manter as aulas na escola. Na última sexta-feira, 17, uma reunião, realizada no CTG Valentes da Tradição, atraiu dezenas de pessoas, inclusive vereadores da base de Marchezan e da oposição, em apoio à escola, que já tem 65 anos e formou gerações de porto-alegrenses da região. O Simpa e a Atempa estão nesta luta, estiveram presentes na reunião e participarão do abraço.

O movimento em apoio à Liberato teve início no começo do ano, depois que a gestão Marchezan anunciou que a escola deveria deixar de realizar matrículas no ensino médio e técnico usando como argumento o fato de que a obrigação do município é oferecer somente educação fundamental. Com a medida, jovens estudantes da zona norte ficariam sem opção de cursos, dificultando o acesso à educação pública, situação que muitas vezes leva ao abandono da formação devido às limitações financeiras e de deslocamento comum à boa parte dos alunos de escolas públicas.

Um primeiro resultado da luta da comunidade foi anunciado durante a reunião do dia 17: a prefeitura anunciou que manteria as matrículas para o próximo semestre. No entanto, não está garantida a continuidade dos cursos para os próximos anos. Por isso, o movimento continua atuando no sentido de mobilizar cada vez mais a comunidade, a sociedade civil, o Legislativo e órgãos de controle. Nos próximos dias, novas ações deverão ser viabilizadas em defesa do Liberato.
22 photos