Categoria municipária aprova novas diretrizes no VI Congresso
Municipárias e municipários aprovaram, na tarde deste sábado (27/4), as novas diretrizes de luta e organização da categoria, durante a plenária final do VI Congresso do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa). Com o tema “Reorganizar a Classe Trabalhadora para Lutar e Avançar”, as resoluções foram previamente debatidas, em grupo, e avaliadas por uma comissão. Somente após, foram levadas a votação.
Três novos cargos de direção foram criados. Agora, o Simpa passar a ter 01 diretor ou diretora para tratar dos assuntos dos aposentad@s, 01 diretora para questões das mulheres e 01 diretor ou diretora de combate à terceirização.
As novas diretorias surgem para representar novas necessidades que a categoria vem percebendo ao longo do último período. A luta das mulheres foi intensificada, com o protagonismo das mulheres nas greves da categoria e nos atos contra a candidatura de Jair Bolsonaro, no ano passado. No Congresso, as mulheres também conquistaram paridade na direção do Simpa, que deverá contar, no mínimo, com 50% de representantes do sexo feminino.
O Núcleo de aposentd@s do Simpa é maioria dos associados e se mantém na ativa, com constantes reuniões no Sindicato e participação nas mobilizações conjuntas. Em tese inscrita, reivindicaram uma diretoria apenas para questões dos aposent@dos e conquistaram esta instância na plenária.
A outra direção criada é a de combate à terceirização. A falta de direitos trabalhistas e a submissão à precarização dos trabalhadores e trabalhadoras da Prefeitura Municipal é uma luta que o Simpa deverá ser solidário e apoiar com ações políticas e jurídicas quando for o caos.
A maioria dos trabalhadores e trabalhadoras presentes reconhecem a necessidade de mantar-se em união, com todas as centrais sindicais e coletivos políticos, para barrar os retrocessos e manter o Estado de Direitos. Nesse sentido, foi consensual a luta unificada contra a Reforma da Previdência de Jair Bolsonaro. Defenderá ainda as bandeiras anti-capital, anti-patriarcal, anti-racista e anti-fascista.
A categoria municipária também vai incorporar à sua luta o pedido de revogação da PEC 241, de Michel Temer, que reduziu drasticamente os gastos públicos em Saúde, Educação e outros setores. Desde lá, faltam investimentos, melhorias, segurança e, até mesmo, servidores públicos nos locais de trabalho pela escassez de repasses do governo. Isto prejudica o atendimento de qualidade à população que usa o serviço público, na sua maioria, da classe trabalhadora.
Outras resoluções aprovadas serão sistematizadas e, posteriormente, divulgadas pelo Simpa. O Congresso é um instrumento de deliberação do Sindicato que acontece a cada quatro anos. No entanto, todas as propostas passarão ainda pelo crivo de assembleia geral, instância maior do sindicato.
109 photos · 34 views
1