new icn messageflickr-free-ic3d pan white

Adult Content

You must be signed in to see this content. Sign in

Back to group

Patinho Feio - Citroën 2CV (IES 3CV)

Balcarce, Argentina.

 

Foto feita enquanto aguardava a abertura do Museu do Fangio, num frio de congelar a mão que fotografa....

 

Grande admirador e seguidor de Henry Ford, cujos conceitos introduziu na indústria automóvel europeia, André Citroen sempre desejou produzir um pequeno veículo motorizado acessível a todas as bolsas que pudesse substituir o cavalo e a carroça, tal como aconteceu com o Ford T nos EUA. Esta ideia remonta a 1934 mas Citroen morreu pouco depois sem a ver concretizada.

 

Batizado sob o código de TPV (toute petite voiture) passou por várias fases de desenvolvimento. Inicialmente foi construído em alumínio e magnésio para reduzir o peso, idéia que posteriormente foi abandonada. A motorização era inovadora: um motor de 2 cilindros horizontais com arrefecimento por ar, se bem que o arranque fosse feito pelo sistema tradicional de manivela. A tração era dianteira. A carroçeria era moldada em chapa ondulada muito fina. Na parte dianteira foi-lhe colocado um único farol central (razão porque lhe chamaram Ciclope) que depois foi deslocado para a esquerda. As portas eram abertas exclusivamente por dentro - era preciso abrir o vidro primeiro...

 

Somente após a guerra foi possível produzir o veículo que viu finalmente a luz no Salão Automóvel de Paris de 1948 com o nome de 2Cv. Na altura foi ridicularizado e todos pensaram que a Citroen cometeu um grande erro por produzir aquilo. O logotipo da marca ostentava então um cisne, o que levou um jornalista a afirmar que tinha nascido um patinho feio, estigma de que nunca conseguiu se livrar.

 

Mas o tempo veio provar o contrário. De início saíam apenas 4 exemplares por dia das linhas de produção e era preciso esperar cerca de 18 meses por uma entrega. Ao todo foram produzidos mais de 5 milhões de exemplares, o último deles saído da linha de montagem às 16h00 do dia 27 de Julho de 1990 da fábrica de... Mangualde, Portugal. O Citroen 2Cv tinha-se tornado num automóvel de culto.

 

No total, em 48 anos foram produzidos 5 114 940 2CV.

 

The Citroën 2CV (French: deux chevaux vapeur, literally "two steam horses", from the tax horsepower rating) was an economy car produced by the French automaker Citroën from 1949 to 1990. [2] It is considered one of their most iconic cars. It was described in the book Drive On!: A Social History of the Motor Car by longtime CAR magazine columnist the late LJK Setright as "the most intelligent application of minimalism ever to succeed as a car." It was designed for low cost, simplicity, versatility, reliability, and off-road driving. For this it had a light, easily serviceable engine, extremely soft long travel suspension (with adjustable ride height), high clearance, and for oversized loads a car-wide canvas sunroof (which until 1960 also covered the boot). Between 1948 and 1990 3,872,583 2CVs were produced, plus 1,246,306 camionettes (small 2CV trucks), as well as spawning mechanically identical vehicles like the Ami, Dyane, Acadiane, and Mehari.

 

From 1988 onwards production took place in Portugal rather than in France. This arrangement lasted for two years until 2CV production halted.

 

Fonte: Wikipedia e Blog Motores, por Seven. (editados)

 

19,402 views
35 faves
42 comments
Taken on August 22, 2007