new icn messageflickr-free-ic3d pan white
São Paulo-Igreja de Santa Cecília. 08 DE DEZEMBRO,DIA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO ( Dezember, 8th."Our Lady of Conception-Immaculated Conception" ) | by LUIZ PAULO São Paulo's Eyes
Back to photostream

São Paulo-Igreja de Santa Cecília. 08 DE DEZEMBRO,DIA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO ( Dezember, 8th."Our Lady of Conception-Immaculated Conception" )

São Paulo

Centro

 

Igreja de Santa Cecília

Saint Cecilia Church (1899-1901)

  

Artista / Artist : Oscar Pereira da Silva

 

Ano / /Year : 1907-1917

Brasil

 

A Imaculada Conceição da bem-aventurada Virgem Maria é um dogma da Igreja Católica Romana que foi definido no século XIX, após longa história de reflexão e de amadurecimento. Sua festa litúrgica é celebrada em 8 de Dezembro.

 

Imaculada Conceição de Maria significa que a Virgem Maria foi preservada do pecado original desde o primeiro instante de sua existência. Nascendo, há dois mil anos atrás, na zona da Palestina, Nossa Senhora teve como pais São Joaquim e Santa Ana. Ela foi concebida sem a mancha do pecado original.

 

A maternidade divina de Maria é base e origem de sua imaculada conceição. A razão de Maria ser preservada do pecado original reside em sua vocação: ser Mãe de Jesus Cristo, o Filho de Deus que assumiu a natureza humana.

 

Os escritos cristãos do século II testemunhavam a idéia, concebendo Maria como nova Eva, ao lado de Jesus, o novo Adão, na luta contra o mal. O Protoevangelho de Tiago, obra apócrifa antiga, narrava que Nossa Senhora é diferente dos outros seres humanos. No século IV, Santo Efrém (306-373), diácono, teólogo e compositor de hinos, propunha que só Jesus Cristo e Maria de Nazaré são limpos e puros de toda a mancha do pecado.

 

Já no século VIII se celebrava a festa litúrgica da Conceição de Maria aos 8 de dezembro ou nove meses antes da festa da natividade de Nossa Senhora, comemorada no dia 8 de setembro. No século X a Grã-Bretanha celebrava a Imaculada Conceição de Maria.

 

Em seu Evangelho, São Lucas diz que Maria é “cheia de graça” (Lc 1,28), significando que ela está plena do favor de Deus, da graça divina. Se está totalmente possuída por Deus, não há, em sua vida e coração, lugar para o pecado.

 

Em Lc 1,31 encontra-se a expressão “conceberás em teu seio”. Maria tornou-se, em grau vivo e pleno, o que eram a tenda do Senhor no deserto e o Santo dos Santos no templo de Jerusalém. Maria veio a ser também, em termos excelentes, aquilo que era a cidade de Jerusalém, o monte Sião do Santo de Israel (Cf. Ez 37,23.27).

 

Segundo a Doutrina Católica o mais importante do que qualquer santuário inerte é o santuário vivo de Maria. Em conseqüência, Maria devia ser totalmente pura, isenta de qualquer mancha do pecado. Em Gn 3,15, lemos: Porei ódio entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

 

A fé cristã interpreta que a mulher é Maria, enquanto a serpente é o demônio, o mal. Maria e seu descendente, Jesus Cristo, são inimigos do demônio. Por ser mãe do Salvador, Nossa Senhora não poderia ficar sob o poder do demônio, mesmo por um breve momento que fosse. O próprio Filho de Deus não poderia nascer de uma mulher sujeita ao mal, ao pecado. Portanto, Maria devia ficar imune ao pecado original.

 

O debate entre os teólogos atravessou os séculos, tendo opositores e defensores da doutrina da Imaculada Conceição. Coube a Duns Escoto (1266-1308), teólogo franciscano, avançar no debate teológico, argumentando que Maria foi preservada do pecado original em previsão dos méritos de Jesus Cristo, o Salvador universal. Dizia ele: “Convinha que Deus fizesse a exceção; podia fazê-la; portanto, a fez!”. Deus concedeu a Maria o privilégio especial, fazendo-a participar da redenção de Jesus de forma antecipada e preventiva.

 

Na Itália do século XV o franciscano Bernardino de Bustis escreveu o Ofício da Imaculada Conceição, com aprovação oficial do texto pelo Papa Inocêncio XI em 1678. Foi enriquecido pelo Papa Pio IX em 31 de março de 1876, após a definição do dogma com 300 dias de indulgência cada vez que recitado.

 

The Immaculate Conception is, according to Roman Catholic dogma, the conception of Mary, the mother of Jesus without any stain of original sin, in her mother's womb: the dogma thus says that, from the first moment of her existence, she was preserved by God from the lack of sanctifying grace that afflicts mankind, and that she was instead filled with divine grace. It is further believed that she lived a life completely free from sin. Her immaculate conception in the womb of her mother, by normal sexual intercourse (Christian tradition identifies her parents as Sts. Joachim and Anne), should not be confused with the doctrine of the virginal conception of her son Jesus.

 

The feast of the Immaculate Conception, celebrated on December 8, was established in 1476 by Pope Sixtus IV. He did not define the doctrine as a dogma, thus leaving Roman Catholics freedom to believe in it or not without being accused of heresy; this freedom was reiterated by the Council of Trent. The existence of the feast was a strong indication of the Church's belief in the Immaculate Conception, even before its 19th century definition as a dogma.

 

The Immaculate Conception was solemnly defined as a dogma by Pope Pius IX in his constitution Ineffabilis Deus, on December 8, 1854.

 

The Roman Catholic Church believes the dogma is supported by Scripture (e.g. Mary's being greeted by Angel Gabriel as "full of grace" or "highly favoured"), as well as either directly or indirectly by the writings of many of the Church Fathers, and often calls Mary the Blessed Virgin (Luke 1:48). Catholic theology maintains that, since Jesus became incarnate of the Virgin Mary, it was fitting that she be completely free of sin for expressing her fiat. (Ott, Fund., Bk 3, Pt. 3, Ch. 2, §3.1.e).

 

For the Roman Catholic Church the dogma of the Immaculate Conception gained additional significance from the apparitions of Our Lady of Lourdes in 1858. In Lourdes a 14-year-old girl, Bernadette Soubirous, claimed a beautiful lady appeared to her. The lady identified herself as "the Immaculate Conception" and the faithful believe her to be the Blessed Virgin Mary.

 

In the Roman Catholic Church, the Solemnity of the Immaculate Conception is a Holy Day of Obligation, except where conferences of bishops have decided, with the approval of the Holy See, not to maintain it as such. It is a public holiday in some countries where Roman Catholicism is predominant e.g. Italy. In the Philippines, although this is not a public holiday, the predominance of Catholic Schools make it almost a holiday.

 

FONTE: pt.wikipedia.org/wiki/Imaculada_Concei%c3%a7%c3%a3o

22,548 views
35 faves
10 comments
Taken on December 6, 2007