new icn messageflickr-free-ic3d pan white
Sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris) - Rufous-bellied Thrush - 14-06-2011 - IMG_3606 | by Flávio Cruvinel Brandão
Back to group

Sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris) - Rufous-bellied Thrush - 14-06-2011 - IMG_3606

Sabiá-laranjeira: o pássaro dos poetas

Para ouvir seu canto: aves.brasil.nom.br/servlet/searchSounds?action=PREVIOUS

To listen his song: aves.brasil.nom.br/servlet/searchSounds?action=PREVIOUS

Rufous-bellied Thrush

Known as Sabiá-laranjeira in Brazil (Turdus rufiventris) this thrush is pretty common and this one was frantically trying to find its chick after a storm at the weekend had dislodged its nest.

The Sabiá, or Thrush, is known for the beauty of both its plumage and its song and is found all over Brazil, in 12 species, the best known of which is the Rufous-bellied Thrush, or Sabiá-laranjeira, Brazil’s national bird. Like many birds, it migrates north to the warm tropical zone in the winter and returns to the temperate zone when the climate in southern Brazil starts to get warm again. It lives alone or in pairs, in forests, parks, backyards and forested urban areas and can live 25 to 30 years. Hopping along the ground, it feeds on the coconuts from several species of palm tree, spitting out the pits after about an hour and contributing to the distribution of these plants. It also feeds on oranges and mature papayas, as well as insects and spiders. For years, the Sabiá has been celebrated in both writing and music , including in several very famous Brazilian poems and songs. Because of its widespread presence and popularity in Brazilian culture, the Brazilian Wildlife Preservation Association proposed that it be designated as an official national symbol of Brazil, a suggestion first made in 1968 that had gradually gained widespread public support by 1987, when a first (but unsuccessful) attempt was made to declare it Brazil’s national bird. Finally, on October 4, 2002, the Sabiá-laranjeira became the newest official symbol of Brazil, designated as the national bird in a Presidential Decree, which included for the first time its scientific name, “Turdus rufiventris.”

Nome científico: Turdos Rufiventris

Família: Turdídeios

Localização geográfica: regiões Centro Oeste, Sudeste e Sul do Brasil e mata atlântica.

O sabiá-laranjeira é uma ave brasileira, das mais populares, citada por diversos poetas como o pássaro que canta no tempo do amor, ou seja, na primavera.

O seu aspecto é de plumagem com cores que variam entre cinza claro a cinza escuro no dorso, o peito é esbranquiçado e o abdome varia de vermelho-ferrugem a marrom escuro na barriga, sendo que as tonalidades mudam conforme a região. Por exemplo, no nordeste brasileiro a cor do abdome é mais clara, amarelada.

Tamanho: 25cm.

Longevidade: em torno de 30 anos.

Na natureza prefere andar em casais, ao invés de em bando. Preferem as beiradas de matas, pomares, capoeiras, beiras de serras e estradas, praças e quintais, sempre por perto de água abundante. É um pássaro territorialista, e demarca uma área geográfica quando está em processo de reprodução e não aceita a presença de outras aves da espécie.

O canto

O sabiá-laranjeira, também conhecido como sabiá amarelo ou de peito roxo, é um dos melhores cantores do mundo. Seu canto é nostálgico e se assemelha ao som de uma flauta. É usado inclusive para conquistar as fêmeas antes do acasalamento.

O macho canta para ensinar os filhotes, ou seja, os pequeninos podem ser treinados e, se conviver desde pequeno com outras espécies, pode ser influenciado pelo canto delas e passar a ter um canto impuro.

Instalação: viveiros de no mínimo 1m de comprimento x 2m de altura x 2m de profundidade. O ninho é sólido, em forma de tigela, formado de ramos e fibras de raízes, com barro na base. Dentro é constituído de raízes finas e macias. Em cativeiro, pode ser um vaso de xaxim pequeno.

A higiene diária do viveiro é fundamental e é bom lembrar que o sabiá-laranjeira gosta de banhar-se com frequência.

Alimentação onívora: na natureza come no chão e nos galhos sementes, insetos, larvas, minhocas e frutas maduras, especialmente mamão e abacate.

Reprodução: os sabiás atingem a maturidade sexual aos 9 meses e se acasalam na primavera, sendo que a postura, que pode ocorrer até 3 vezes por temporada (de Setembro a Janeiro), é de 2 a 3 ovos. O período de incubação é de 15 dias.

Não há dimorfismo sexual, pois, ambos são iguais e a fêmea também canta, mas numa frequência bem menor que o macho.

Para o acasalamento, isola-se o macho num viveiro por 2 semanas. Coloca-se a fêmea e ouça o seu cortejo melodioso e nostálgico para atrai-la e incentivá-la à postura dos ovos.

Os filhotes devem ser mantidos com os pais por até pelo menos um mês, inclusive para aprender a cantar.

No Brasil podem ser encontradas outras espécies de sabiá, tais como:

Sabiá-Una;

Sabiá-Pardo;

Sabiá-Branco;

Sabiá-Coleira.

Crédito:

Texto retirado no site "My Pet", no endereço:

mypet.terra.com.br/sabia.asp

Links

1. www.petbrazil.com.br

2. www.terradospassaros.com

3. www.saudeanimal.com.br

4. www.petsite.com.br

5. www.ibama.gov.br

9,443 views
77 faves
136 comments
Taken on June 14, 2011