new icn messageflickr-free-ic3d pan white
Série com o Mandarim (Synchiropus splendidus) - Series with the mandarinfish or mandarin dragonet - 19-08-2008 - IMG_20080819_9999_172 | by Flávio Cruvinel Brandão
Back to group

Série com o Mandarim (Synchiropus splendidus) - Series with the mandarinfish or mandarin dragonet - 19-08-2008 - IMG_20080819_9999_172

A text, in english, from Wikipedia, the free encyclopedia.

Mandarinfish or Mandarin Dragonet (Synchiropus splendidus).

This article is about the saltwater aquarium fish also known as the mandarin goby. For the carnivorous freshwater fish also known as the Chinese perch, see mandarin fish.

The mandarinfish or mandarin dragonet, Synchiropus splendidus (syn. Pterosynchiropus splendidus), is a small, brightly-colored member of the dragonet family, popular in the saltwater aquarium trade. The mandarinfish is native to the Western Pacific, ranging approximately from the Ryukyu Islands south to Australia. It is also somewhat misleadingly known as the mandarin goby, due to its resemblance to blennies and gobies. Other trade names include "green mandarinfish", "striped mandarinfish", or "psychedelic fish". The name psychedelic mandarin is also used for a closely related species, the picturesque dragonet, Synchiropus picturatus.

 

Mandarinfish are reef dwellers, preferring sheltered lagoons and inshore reefs. While they are slow-moving and fairly common within their range, they are not easily seen due to their bottom-feeding habit and their small size (reaching only about 6 cm). They feed primarily on small crustaceans and other invertebrates. The name of the mandarinfish comes from its extremely vivid coloration, evoking the robes of an Imperial Chinese mandarin.

 

Despite their popularity in the aquarium trade, mandarinfish are considered difficult to keep, as their feeding habits are very specific. Some fish never adapt to aquarium life, refusing to eat anything but live amphipods and copepods (as in the wild), though individuals that do acclimatize to aquarium food are considered to be quite hardy and highly resistant to diseases such as ich. They can not contract the disease Ichthyophthirius because they do not have the skin type that this common aquarium disease affects.

The similarly named mandarin fish, Siniperca chuatsi, properly known as the Chinese perch, is only distantly related.

 

Um texto, em português, da Wikipédia, a enciclopédia livre.

Peixe-mandarim (Synchiropus splendidus).

O peixe-mandarim (Synchiropus splendidus) é um peixe perciforme de água salgada adaptado ao clima tropical que mede de 6 a 10 centímetros de comprimento. Vive escondido em fendas nos recifes de coral e alimenta-se de pequenos animais marinhos que passam próximos ao seu esconderijo. Também é encontrado, com menos freqüência, em águas rasas protegidas, como lagoas costeiras e pequenas baías. Por precisar de muitos nutrientes diferentes, às vezes o peixe-mandarim também come pequenas quantidades de algas e outros flocos que possam lhe servir de alimento.

O peixe-mandarim é um peixe exuberante e tímido e por isso é muito usado em aquários como animal de estimação. Possui cores fortes, brilhantes e desenhos organizados agressivamente em sua pele. Essa característica é, de fato, um mecanismo de defesa contra predadores, indicando que a carne do peixe-mandarim tem gosto ruim, já que seu corpo produz um muco viscoso de gosto e cheiro horríveis.

A pele do peixe-mandarim não possui escamas, por esse motivo ela é necessariamente muito grossa, afim de proteger o peixe das pontas agudas presentes nos recifes de coral. Os olhos por sua vez são projetados para fora como grandes saliências, permitindo que o peixe-mandarim enxergue a sua volta. Os olhos também não possuem pálpebras, nem canais lacrimais, sendo a água do mar responsável pela limpeza dos mesmos.

A visão do peixe-mandarim é bem desenvolvida, acima da média dos outros peixes, sendo que seus olhos são capazes de identificar até as cores do ambiente. Ao menor sinal de perigo, o peixe-mandarim eriça os longos espinhos das costas fazendo-o parecer maior do que realmente é.

O nome do peixe-mandarim vem das cores e desenhos do seu corpo que parecem muito com as roupas de seda usadas pelos mandarins na antiga China. Esta espécie de peixe é mais comumente encontrada no Oceano Pacífico, mas também pode ser encontrado no Oceano Índico e no Caribe.

Quando criado em aquário ou em cativeiro, o peixe-mandarim deve conviver somente com indivíduos da mesma espécie pois pode ser agressivo com indivíduos de espécies diferentes. Além disso a reprodução em cativeiro é muito difícil de ser alcançada e a alimentação a partir de produtos industrializados não é aceita pelo peixe se o ambiente do aquário não estiver nas condições ideais.

O que difere os machos das fêmeas de peixe-mandarim é que os machos são tipicamente maiores e apresentam extensões nas nadadeiras dorsal e anal. Também é mais comum os machos possuírem cores mais bem distribuídas e brilhantes que as fêmeas, embora isso nem sempre aconteça.

A temperatura ideal da água de um aquário para um peixe-mandarim é de 25 ºC com pH em torno de 8,2.

Reprodução:

Quando o macho de peixe-mandarim quer se acasalar, algo que geralmente acontece ao entardecer, ele levanta sua nadadeira dorsal e nada em volta de sua companheira, aproxima-se dela e agarra sua nadadeira peitoral com a boca. Os dois ficam nadando ligados até alcançarem a superfície, onde soltam-se e expelem o esperma e os óvulos que se unem para formar os ovos.

Os pais cuidam dos ovos, que ficam boiando na superfície, protegendo-os de possíveis predadores e de outros perigos do meio. Depois que nascem, os filhotes de peixe-mandarim se alimentam de zooplâncton e fitoplâncton até alcançarem tamanho suficiente para comer animais maiores.

5,417 views
8 faves
20 comments
Taken on August 19, 2008