new icn messageflickr-free-ic3d pan white
APUIM-DE-COSTAS-PRETAS (Touit melanonotus ) | by Dario Sanches
Back to photostream

APUIM-DE-COSTAS-PRETAS (Touit melanonotus )

Ubatuba-SP - Brasil

 

Também é chamado de papagainho, periquitinho, apuim-de-cauda-vermelha e apuim-de-costa-escura. Possui dimensões intermediárias entre as do tuim (Forpus spp.) e o cuiú-cuiú (Pionopsitta pileata).

Há registros que relatam sua ocorrência em pontos esparsos da faixa litorânea de SP, ES e RJ (Ex. Xerém), e áreas bem mais elevadas (Ex: Itatiaia) no Estado do Rio de Janeiro; daí até o Vale do Ribeira (Intervales) no Estado de São Paulo. Há ainda relatos que apontam sua ocorrência desde o litoral baiano para o Sul, e de sua presença em diversos outros pontos ao longo dessa distribuição, registrados em publicações ornitológicas. O que pode evidenciar que sua população talvez seja bem maior do que a considerada atualmente. Soma-se a isso, o fato da espécie ser quase sempre silenciosa, frequentar o topo das árvores e possuir coloração mimética eficiente. Também é muito confundida com outros psitacídeos de seu habitat, e mesmo com imaturos desses.

 

Características

A sua principal característica são as penas vermelhas em sua cauda curta, barradas de negro. Que ficam ocultas parcialmente com a ave em repouso. Não há relatos de dimorfismo sexual aparente. Centro do dorso num vértice pardo-desbotado. Coloração geral verde, com matiz acinzentado no peito e ventre. Bico esbranquiçado e anel ocular alaranjado.

 

Alimentação

Provavelmente realiza deslocamentos ou dispersões sazonais em algumas áreas, possivelmente por pequenas distâncias em diferentes níveis de altitude. A única alimentação conhecida são sementes de grandes árvores leguminosas e o fruto de Rapanea acuminata, Clusia sp. e ervas-de-passarinho.

 

Reprodução

Segundo relatos de pesquisadores e mateiros, essa espécie se reproduz entre os meses de outubro a dezembro e utiliza cupinzeiros arbóreos para seu ninho, a exemplo de seu congênere da Mata Atlântica, o apuim-de-cauda-amarela (Touit surdus).

 

Hábitos

Quase sempre em pequenos grupos (2 a 8 indivíduos), mas há relatos de bandos com cerca de 30 indivíduos. Vocalização aguda e estridente.

 

Fonte: Wikiaves

 

10,198 views
16 faves
27 comments
Taken on February 7, 2011