new icn messageflickr-free-ic3d pan white
A Guarda - Galiza | by Hugo Carriço
Back to photostream

A Guarda - Galiza

english

 

is a city in the southwest of Galicia, the southernmost population of the province of Pontevedra (Spain).

 

Geography

 

Communicates with Portugal by the natural boundary of the Minho River to the southeast, the Atlantic Ocean to the west and with the city of El Rosal in the north. It is accessible by road from Tuy PO-552 and from Bayonne, and from Caminha ferry. It is located 50 km from Vigo and Santiago de Compostela 120.

The altitude at sea level does not prevent the Monte Santa Tecla and Mount Earthy rise to 314 m and 350 m respectively, allowing excellent views, especially from Mount Santa Tecla where you can enjoy the mouth of the Minho River, Atlantic Ocean and the mountains of Portugal and Galicia.

 

Beaches

 

Due to its geographical location and the confluence of the River Minho and the Atlantic Ocean, presents a wealth of beaches. Include O Muiño beaches, located at the mouth of the Rio Minho, and after leaf, which is the continuation of this, by duality water. When the tide they are salt water, and when low, freshwater, so you can enjoy the benefits of both, although its opening to the ocean becomes significantly colder. These beaches are usually sports like swimming, skimboarding and kitesurfing among others. Apart from these there are other beaches as Fedorento large area or which are only salt water.

 

History

 

The history of the town of La Guardia is largely conditioned by its privileged geographic location. Strategic place with abundant natural resources ideal for human settlement and political friction between states.

The early history of La Guardia begins with the first human remains found in the area. Specifically were in different terraces that form the Minho river valley where, on the 10000 to. C., began to settle small groups of primitive men, on the slopes of Monte key that reaches the river. Hominids were expanded through the valley and the nearby coast, areas favorable for subsistence.

The next chapter was in Neolithic times, between 5000 to. C. and 2000 a. C., which is found in various places an improvement of the stone industry. The most characteristic feature of this period are the petroglyphs, carved on the stones with schematic drawings with valuable documentary about the life of this period.

Between 2000 and 1000 a. C. we find the bronze culture in which this mineral is manipulated to make, after appropriate casting, a wide range of objects. In these years also date the first contact by sea with Mediterranean cultures, first the Phoenicians and then Greeks.

During the first millennium BC consolidated the Iron Age would determinant manifestation military culture. No doubt, this was the period of greatest splendor in the history of La Guardia and give it plenty of debris samples, especially in the abundance of forts: Santa Tecla, A Forca, O Castro and A Bandeira. Among them is the first cited, dating from the first century. C. to the first century, located near the top of the mountain, is one of the most significant of the Galician-Roman Culture of Galicia.

The culture of the forts was diluted with increasing Romanization. Residents were leaving and the beginning to settle in the valleys to farm. From Roman remains found in the center of the population, in the place of Saa, in O Castro and paint. Then came the V century conquest of the Swabians that would prolong the Roman welfare.

In the early Middle Ages by the Bajo Minho Christian religious communities settled in various monasteries, with the first contingent administrative concerning the bishop of Tuy. In times of reconquest and repopulation after several, the monarch Alfonso II granted the hunting ground of the mouth of the Minho to Count de Sotomayor.

From the twelfth century, La Guardia was under the shelter of the Cistercian monks who were placed in Oya. Among his papers is given a good account of the thriving commercial life that had the town. A period that will be the urban layout similar to other seaside towns like Bayonne or Noya Galicia, with a triangle-shaped walls, with one side towards the sea and the vertex opposite the church. In late medieval parish church expands to accommodate population growth.

The demographic issue will be decisive in the sixteenth century with the arrival of several pandemics that cause a loss in population. Licensed by Philip II, the Sotomayor promote a convent of Benedictine religious community independent of the parent company of San Paio of Antealtatres de Compostela.

The seventeenth century will be crucial for the history of La Guardia due to pressures arising warring of the Thirty Years War. They built the Castle of Santa Cruz, a garrison conquered by the Portuguese in 1665. With the win La Guardia belonged to the Kingdom of Portugal for three years. From that time also is a small fort located on a small island in the mouth of the harbor, a construction that was called Atalaya, protagonist of the shield element of the villa.

 

Português

 

O Português que irão ler abaixo foi traduzido a partir do tradutor do google.

 

é uma cidade no sudoeste da Galiza, a população sul da província de Pontevedra (Espanha).

 

Geografia

 

Comunica-se com Portugal pela fronteira natural do rio Minho para o sudeste, o Oceano Atlântico a oeste e com a cidade de El Rosal, no norte. É acessível por estrada a partir de Tuy PO-552 e de Bayonne e do ferry Caminha. Ele está localizado a 50 km de Vigo e Santiago de Compostela 120.

A altitude ao nível do mar não impede que o Monte Santa Tecla e Monte aumento Earthy a 314 m e 350 m, respectivamente, permitindo excelentes vistas, especialmente do Monte de Santa Tecla, onde pode desfrutar da foz do rio Minho, Oceano Atlântico e as montanhas de Portugal e da Galiza.

 

Praias

 

Devido à sua localização geográfica e da confluência do rio Minho e do Oceano Atlântico, apresenta uma riqueza de praias. Incluem praias O Muino, localizado na foz do Rio Minho, e depois de folha, que é a continuação desta, pela água dualidade. Quando a maré são de água salgada, e quando baixa, de água doce, para que você possa desfrutar dos benefícios de ambos, embora a sua abertura para o oceano torna-se significativamente mais frio. Estas praias são geralmente esportes como natação, skimboard e kitesurf entre outros. Para além destes, existem outras praias como Fedorento grande área ou que estejam apenas água salgada.

 

História

 

A história da cidade de La Guardia é em grande parte condicionada pela sua localização geográfica privilegiada. Lugar estratégico com abundantes recursos naturais ideais para assentamentos humanos e atrito político entre os Estados.

O início da história de La Guardia começa com os restos humanos encontrados primeiro na área. Especificamente estavam em diferentes terraços que formam o rio Minho vale onde, no 10000 a. C., começou a instalar pequenos grupos de homens primitivos, nas encostas do Monte chave que chega ao rio. Os hominídeos foram ampliados através do vale e da costa perto, áreas favoráveis ​​para a subsistência.

O capítulo seguinte foi no período neolítico, entre 5000 a. C. e 2000 a. C., que é encontrado em vários locais de uma melhoria da indústria da pedra. O traço mais característico deste período são as pinturas rupestres, esculpidas nas pedras com desenhos esquemáticos com documentário valiosas sobre a vida deste período.

Entre 2000 e 1000 a. C. encontramos a cultura de bronze em que o mineral é manipulado para fazer, após a moldagem adequada, uma vasta gama de objectos. Nestes anos também data do primeiro contato por mar com as culturas do Mediterrâneo, primeiro os fenícios e gregos, em seguida.

Durante o primeiro milênio aC consolidou a cultura da Idade do Ferro seria manifestação determinante militar. Sem dúvida, este foi o período de maior esplendor na história de La Guardia e dar-lhe a abundância de amostras de detritos, principalmente na abundância de fortes: Santa Tecla, A Forca, O Castro e A Bandeira. Entre eles está o primeiro citado, que data do primeiro século. C. ao primeiro século, localizado no topo da montanha, é um dos mais significativos da cultura galaico-romana de Galiza.

A cultura dos fortes foi diluída com Romanization crescente. Moradores estavam saindo eo início de resolver nos vales para a fazenda. De Roman permanece encontrada no centro da população, no lugar de Saa, em O Castro e pintura. Depois veio a conquista do século V dos suevos que prolongar o bem-estar romano.

No início da Idade Média por parte das comunidades religiosas cristãs Bajo Minho estabeleceram em vários mosteiros, com o primeiro contingente administrativo sobre o bispo de Tuy. Em tempos de reconquista e repovoamento depois de vários, o monarca Alfonso II concedeu o terreno de caça da boca do Minho ao Conde de Sotomayor.

A partir do século XII, La Guardia estava sob o abrigo dos monges cistercienses que foram colocados em Oya. Entre seus papéis é dado boa conta de a vida próspera comercial que teve a cidade. Um período que será o traçado urbano semelhante a outras cidades do litoral, como Bayonne ou Galiza Noya, com paredes em forma de triângulo, com um lado para o mar e o oposto vértice da igreja. Na paróquia medieval igreja se expande para acomodar o crescimento populacional.

A questão demográfica será decisivo no século XVI, com a chegada de várias pandemias que causam uma perda de população. Licenciado por Filipe II, o Sotomayor promover um convento de comunidade religiosa beneditina independente da empresa-mãe de São Paio de Antealtatres de Compostela.

O século XVII será crucial para a história de La Guardia, devido a pressões decorrentes beligerantes da Guerra dos Trinta Anos. Eles construíram o Castelo de Santa Cruz, uma guarnição conquistada pelos Português em 1665. Com a vitória de La Guardia pertencia ao Reino de Portugal por três anos. A partir desse momento, também é um pequeno forte situado em uma pequena ilha na entrada do porto, uma construção que foi chamado de Atalaya, protagonista do elemento protetor da vila.

1,347 views
0 faves
0 comments
Taken on September 11, 2012