new icn messageflickr-free-ic3d pan white
Secretário e prefeitos discutem soluções para o Código Florestal | by Bruno Covas
Back to photostream

Secretário e prefeitos discutem soluções para o Código Florestal

Na quinta-feira, 15, representantes dos municípios de Apiaí, Capão Bonito,

Tapiraí e Rosana se reuniram com o secretário do Meio Ambiente Bruno Covas

para debater sobre o novo código florestal. Presentes ao encontro o deputado

federal Mendes Thames (PSDB) e seu assessor Karl Machado, que também

representou o município de Rosana, os prefeitos Emilson Caputo Silva (DEM)

de Apiaí, Julio Dias (PR) de Capão Bonito, Alvino Marzeuski (PSDB) de

Tapiraí e o presidente da Câmara da cidade, Marcio José Mansani (DEM).

Participaram ainda João Gabriel Bruno, diretor executivo da Fundação

Florestal (FF), Cristina Maria do Amaral Azevedo, da Coordenadoria de

Biodiversidade e Recursos Naturais (CBRN), Lygia Nader e Felipe de Andrea

Gomes, assessores parlamentares.

 

O encontro foi motivado pela necessidade de transformar problemas em

soluções. No momento da reunião, o código florestal estava para ser aprovado

e previa mudanças de percentuais de reservas legais. Para seguir a lei

ambiental sem prejudicar a economia da cidade, os administradores municipais

apresentaram propostas de gestão compartilhada de Unidades de Conservação e

a contrapartida de recursos aos municípios preservadores.

 

“As ideias vêm ao encontro de projetos em estudo na Secretaria do Meio

Ambiente. O ICMS ecológico, por exemplo, é uma forma de compensar o

município que está preservando áreas verdes cujos benefícios extrapolam os

limites da cidade“, informa o secretário. Ele também ressaltou a importância

do engajamento dos municípios com a agenda ambiental.

 

Outro projeto discutido foi a Câmara de Compensação de Reserva Legal. A

ideia consiste em desonerar o agricultor da existência da reserva legal

dentro de sua propriedade e averbá-la a uma área verde municipal. “Do ponto

de vista ecológico é muito melhor conservar uma área de interesse científico

e de biodiversidade do que fragmentos de área verde isolados pelo estado”,

explica Bruno Covas.

1,562 views
0 faves
0 comments
Taken on December 23, 2009