CEDECA Interlagos (0) > Collections

Desde 2013 o CEDECA Interlagos realiza encontros entre jovens e adolescentes da região da Capela do Socorro com a proposta de apropriação das ferramentas midiáticas como forma de difusão de informação e troca, partindo da periferia para a periferia, rompendo com o que nos é vomitado pela mídia hegemônica que muitas vezes distorce a realidade da periferia, enquadrando suas/seus moradoras/es como vagabundos ou bandidos e assim justificando e naturalizando práticas genocidas por parte do Estado.
Os encontros de Midiativismo propõem a utilização da mídia como forma de subversão juntamente com a proposta de ativismo que vai de encontro a reprodução sistemática. Utilizando a mídia feita de nós para nós e seu potencial comunicativo e de mudança social, além de trabalhar a garantia de um direito fundamental e que por vezes passa em branco, o direito de expressão.
Discutir, propor, produzir e difundir são algumas das propostas do midiativismo, primeiro discutir e problematizar o que a mídia hegemônica nos impõe como verdade e quais nossas necessidades dentro da periferia como parte marginalizada da “sociedade”, problematizar reproduções como as que nos são colocadas nestas mídias, como nos programas policiais que defendem a ideia de que “bandido bom é bandido morto”, da lógica de ação da polícia que atira e depois pergunta, questionar o que nos está sendo posto e a quem essa lógica favorece.
Propor o rompimento com essas ideias hegemônicas que mantém o status quo e ações que vão de encontro a reprodução sistemática por meio da apropriação de discurso próprio e de ferramentas midiáticas, como: rádios comunitárias, jornais, grafite, stencil, redes virtuais e outros, e que tenha em vista a garantia de direitos, é o desafio proposto pela ideia de Midiativismo.
Produção de material que contemple as demandas populares e que trabalhe como modo de difusão entre as/os agentes periféricos, servindo como ferramenta de articulação popular em prol das demandas da periferia, da conquista e efetivação de direitos.
Em 2013, momento de efervescência das manifestações contra o aumento da tarifa e primeiro ano de realização do Encontro de Midiativismo que teve como tema “Arte e Resistência”, contamos com a contribuição de militantes da região que abordaram algumas temáticas de luta em que são envolvidos, entre eles: Sandra, militante na luta por moradia no Jd. Da União, Carol Cantine da antiga Rede Extremo Sul, ambas contribuíram para a discussão da mulher como protagonista nas lutas da periferia, atividade chamada de “Mulheres na Luta”; o rapper Robsoul parceiro de longa data do CEDECA Interlagos; Daniel do NCA – Núcleo de Comunicação Alternativa, que durante um tempo mantiveram uma videoteca em funcionamento no espaço do CEDECA; Welligton Neri – o Tim, grafiteiro da região que compartilhou suas experiências na produção de stencil como intervenção artística e política. Cada um desses encontros discutiu uma temática específica que se ligava a produção midiática, entre elas o audiovisual.

No fim de 2013 iniciamos uma campanha no Catarse (site de arrecadação coletiva) com a ideia de montarmos um centro de midiativismo no espaço do CEDECA e que fosse autogestionado pelas/os adolescentes e jovens midiativistas, com a ajuda de parceiras/os e simpatizantes conseguimos arrecadar o valor necessário para equipagem do centro de midiativismo.
Em 2015 o III° Encontro de Midiativismo discutiu a reorganização escolar das escolas estaduais do Estado de São Paulo, onde os adolescentes puderam convidar educadoras/es da rede estadual para discutir a questão, além de trocar entre si suas vivências e contextos nas escolas.
Essa edição do Midiativismo foi construída juntamente com o Coletivo de jornalismo da quebrada Periferia em Movimento, que conduziu conjuntamente conosco o processo do curso.
Abaixo entrevista realizada pelas adolescentes do Curso de Midiativismo em parceria com o Periferia em Movimento que contou com a participação de Alan Amaro – Professor do Estado e Emerson Martins do Coletivo O Mal Educado (2015).